dissertações

Quadriênio 2020 - 2017

Total de dissertações defendidas: 46

DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS EM 2020

Total de dissertações defendidas: 08

Carolina Fabiano de Carvalho

Título: Poesia e dívida: Um estudo interdisciplinar de alguns poemas de Lucas Matos

Orientador(a):  Prof. Dr. Marcelo Diniz Martins

Páginas: 97

Resumo

Esta pesquisa aprofunda as relações entre a economia e a literatura a partir da leitura de alguns poemas do livro Três semblantes, de Lucas Matos, que enunciam a dívida. O objetivo deste trabalho é investigar interdisciplinarmente os poemas selecionados e o discurso políticoeconômico- financeiro da dívida, preponderante em nossas práticas e na construção de nossas subjetividades. Para isso, empreendo uma leitura crítica, na forma de ensaios, que intercambia aspectos formais e discursivos dos objetos literários com uma bibliografia composta por obras da história da economia brasileira contemporânea, da antropologia da dívida e da economia em geral. A escolha interdisciplinar deriva do que os próprios poemas suscitam: questões políticas e sociais que dizem sobre o nosso tempo e que, em sua fatura linguística e estética, modificam nossa percepção do real. Realizo também uma discussão teórica acerca da própria abordagem de leitura que adoto para esta dissertação. Por fim, aponto alguns caminhos e alternativas de aproximação com a poesia brasileira, a partir do que foi discutido.

Palavras-chave: Poesia contemporânea; Dívida; Poesia brasileira; Economia.

Abstract 

This research addresses the relationships between economics and literature through readings of poems from Lucas Matos’ book Três Semblantes, themed around debt. The objective of this thesis is to investigate, using an interdisciplinary approach, the selected poems and the political-economic-financial discourse of debt, ever present in our practices and in the construction of our subjectivities. Aiming to achieve this, a critical reading in the form of essays is made, interchanging formal and discursive characteristics of the literary objects with a bibliography composed by works comprising contemporary Brazilian economic history, debt anthropology and economics. This interdisciplinary approach derives from the poems’ own suggestions: political and social questions representative of our time and which, through their linguistic and aesthetic making, modify our perception of reality. Theoretical discussion about the thesis’ reading approach follows. Finally, some paths and alternatives of approximation to Brazilian poetry are brought up, emerging from the discussed matters.

Keywords: Contemporary poetry; Debt; Brazilian poetry; Economics.

 

Gabriella de Oliveira Silva
Título: A forma do paradoxo: ironia romântica no romance em versos Evguêni Oniéguin, de Aleksandr Púchkin

Orientador(a):  Prof. Dr. Marco Americo Lucchesi

Páginas: 180

Resumo

A presente dissertação investiga e discute o conceito de ironia romântica de Friedrich Schlegel (1772-1829) como princípio estrutural do romance em versos Evguêni Oniéguin (1833), de Aleksandr Púchkin (1799 – 1837). Para Roman Jakobson (1896-1982) e Iúri Lótman (1922-1993), a força motriz de Evguêni Oniéguin é a ironia romântica, definida por F. Schlegel como forma do paradoxo, que permite a apresentação de um mesmo objeto sob pontos de vista contraditórios e que linguagens e estilos dissonantes coexistam sem prejudicar a unidade da obra. Ao dividir a estrutura do romance entre enredo e digressões reflexivas, Púchkin, o poetanarrador, se distancia de sua obra, realiza a autocrítica por meio de diálogos com o leitor, tornando a obra metaficcional. No entanto, Púchkin raramente é incluído entre os autores irônicos na tradição crítico-literária ocidental. Deste modo, o objetivo desta dissertação é oferecer uma leitura compreensível deste híbrido romance em versos para o leitor brasileiro; atestar que Púchkin pode ser legitimado como o artista irônico concebido por F. Schlegel e que Evguêni Oniéguin pode ser caracterizado como poesia universal progressiva, um gênero em devir que mescla e funde poesia e prosa e que, por meio da reflexão, oscila entre o exposto e aquele que expõe; e demonstrar como a ironia possibilitou a conjugação das diferentes linguagens do heterodiscurso em formação, apontando o caminho do poeta para a prosa que veio a influenciar todo romance russo posterior.

Palavras-chave: Evguêni Oniéguin; Aleksandr Púchkin; Literatura Russa; Ironia Romântica; Friedrich Schlegel.

Abstract 

This dissertation investigates and discusses the concept of romantic irony by Friedrich Schlegel (1772-1829) as a structural principle of the novel in verse Eugene Onegin (1833), by Aleksandr Pushkin (1799-1837). For Roman Jakobson (1896-1982) and Yuri Lotman (1922- 1993), the driving force of Eugene Onegin is romantic irony, defined by F. Schlegel as a form of paradox, which allows the presentation of the same object from contradictory points of view and dissonant languages and styles to coexist without harming the unity of the work. Pushkin, the poet-narrator, divides the structure of the novel between plot and reflective digressions, detaching himself from his work, exercising self-criticism through dialogues with the reader and turning the work metafictional. Nevertheless, Pushkin is rarely included among ironic authors in the Western critical-literary tradition. The objective of this dissertation is to offer a comprehensible reading of this hybrid novel in verse to the Brazilian reader; to demonstrate how Pushkin can be legitimized as the ironic artist conceived by F. Schlegel and how Eugene Onegin can be characterized as progressive universal poetry, an evolving genre that mixes and merges prose and poetry, and by reflection, oscillates between exposing and being exposed; and to demonstrate how irony made the combination of different languages of the heteroglossia in formation possible, highlighting the poet’s path to prose which subsequently influenced all Russian novels.

Keywords: Eugene Onegin; Aleksandr Pushkin; Russian literature; Romantic Irony; Friedrich Schlegel.

 

Helena Gervásio Coutinho
Título: A épica de Carlos Alberto Nunes entre a prática tradutória e a composição

Orientador(a): Prof. Dr. Eduardo Coelho

Coorientador(a):  Prof(a). Dr(a). Tatiana Oliveira Ribeiro

Páginas: 114

Resumo

Muito já se escreveu, e se escreve, sobre o ofício tradutório de Carlos Alberto Nunes, sendo constantes os estudos que se ocupam de suas traduções dos épicos clássicos antigos, dos diálogos platônicos e do teatro shakespeareano. Reconhece-se em Nunes um tradutor de línguas e gêneros diversos, perpassando grego, latim, inglês, alemão e espanhol, e a epopeia, o drama, o teatro. Se sua verve tradutória é já reconhecida por suas características singulares, seus poemas épicos e dramáticos ainda carecem de estudos que lhe atribuam um lugar nas páginas da história da literatura brasileira. São de sua lavra os poemas épicos Os Brasileidas, com edições de 1931, 1938 e 1962, e Pindorama ou o Brasil restaurado, de 1981. A desproporção – aparentemente injustificada – entre a notoriedade da tradução que Carlos Alberto Nunes empreendeu da épica homérica e a obscuridade literária e ecdótica de sua própria épica impôs-se então como um objeto de estudo. Analisou-se o processo de composição da épica de Nunes, especificamente do poema Os Brasileidas, que parece ser paralelo à sua prática tradutória, visto que em cada uma das três edições de seu poema nota-se a inclusão e a reelaboração de traços característicos da épica homérica, mormente da Odisseia, cuja tradução era empreendida àquele tempo. Entre Os Brasileidas e a Odisseia, evidencia-se uma relação entre a prática compositiva e a prática tradutória que não se explica apenas pelo fato de uma ter sido inspirada pela outra, ou de aquela ter servido de laboratório para esta última.

Palavras-chave: Carlos Alberto Nunes; épica brasileira; tradução; Os Brasileidas; Homero.

Abstract 

Much has been and still is being written about Carlos Alberto Nunes’ translation works, with constant studies being made about his translations of ancient classical epics, Platonic dialogues, and Shakespearean theater. Nunes is recognized as a translator of many languages and genres, passing through Greek, Latin, English, German, and Spanish; through the epic, the drama, the theater. If his translation verve is already recognized for its unique characteristics, his epic and dramatic poems still lack studies that would give them a place in the pages of the history of Brazilian literature. His epic works are the poems Os Brasileidas, with editions of 1931, 1938, and 1962, and Pindorama ou o Brasil restaurado, from 1981. The seemingly unjustified disproportion between the notoriety of the translation that Carlos Alberto Nunes undertook from the Homeric epic and the literary and ecdotic obscurity of his own epic then emerged as an object of study. In this project, an analysis of the composing process of Nunes’ epic was carried out, specifically the poem Os Brasileidas, which seems to be parallel to his translation practice, since in each of the three editions of his poem, one notices the inclusion and re-elaboration of characteristic features of the Homeric epic, especially of the Odyssey, whose translation was undertaken at that time. Between Os Brasileidas and the Odyssey, there is a relation between the compositional practice and the translational practice that is not explained only by the fact that one was inspired by the other, or that the first served as a laboratory for the latter.

Keywords: Carlos Alberto Nunes; Brazilian epic; translation; Os Brasileidas; Homer.

 

Ivan da Rocha Hanauer

Título: Cara-de-bronze e as formas simples: as múltiplas faces do mistério em rosa

Orientador: Prof. Dr. Eduardo Guerreiro Brito Losso

Páginas: 75

Resumo

Análise da polimorfia de Cara-de-Bronze sob a identificação dos gestos verbais e da
classificação das formas simples. Interpretação com ênfase na relação entre a natureza
(physis) e a linguagem poética (poiesis), cujo paralelo criativamente desenvolvido por Rosa é
exposto de maneiras diversas. Defende-se que essa isomorfia sugere a valorização do
mistério, do impreciso e do eterno processo que caracteriza tanto a vida como a incessante
gestação de formas expressivas.

Abstract 

Analysis of the Cara-de-Bronze polymorphy under the identification of the verbal
gestures and the classification of the simple forms. Interpretation with emphasis on the
relationship between the nature (physis) and the poetic language (poiesis), whose parallel,
creatively developed by Rosa, is exposed in many ways. It is argued that this isomorphy
suggests the valorization of the mystery, of the imprecise and of the eternal process that
characterizes both life likewise the incessant gestation of expressive forms.

Paula Cristina Gomes do Amparo
Título: Noite: escrita, erotismo e desrazão

Orientador(a):  Prof. Dr. João Camillo Penna

Páginas: 109

Resumo

O liame desta dissertação é a noite, seguindo o movimento das figuras que aparecem nela: escrita, erotismo e desrazão. Partindo de O espaço literário, de Maurice Blanchot, este estudo inicia-se com a análise de duas escritas, pensando-as como um trabalho da noite: a de uma mosca marcando, através da luz refratada, a parede de uma casa em Neauphle-le-Château no livro Escrever, de Marguerite Duras, e a escrita de um desabrigado no conto Primeiro amor, de Samuel Beckett, que escreve o nome Lulu em bostas de novilha com o próprio dedo. O segundo capítulo propõe uma leitura relacionada à transgressão possível no encontro erótico com base no conto Madame Edwarda, de Georges Bataille, que apresenta um narrador e uma puta-deus errando pelas ruas escuras de Paris; para então pensar a filosofia do autor junto ao tema da noite e em diálogo com escritores como Georges Didi-Huberman, Roland Barthes, Novalis e São João da Cruz. No capítulo final, intitulado “Sonhos de Goya”, as possibilidades simbólicas que são construídas na vida onírica dentro da pintura do artista são pensadas junto a uma noite metafórica e literal, que está ligada à loucura da noite da razão.

Palavras-chave: Noite; Escrita; Francisco de Goya; Georges Bataille; Maurice Blanchot.

Abstract 

What links this dissertation is the night, following the movement of the images that appear in it: writing, erotism and unreason. Using Maurice Blanchot‟s The Space of Literature as a starting point, this study seeks to analyze two kinds of writing, reflecting upon them as works of the night: a fly marking the wall of a house in Neauphle-le- Château in Marguerite Duras‟ Writing and the writing of a homeless man in Beckett‟s short story First Love, who uses his own finger to write the name Lulu on calf‟s shit. The second chapter proposes a reading of transgression in the erotic encounter as displayed on Georges Bataille‟s short story Madame Edwarda, which features a narrator and a whore-God wandering around the dark streets of Paris, in order to then think about the author‟s philosophy related to the subject of the night, in dialogue with writers such as Georges Didi-Huberman, Roland Barthes, Novalis and San Juan de la Cruz. In the final chapter, entitled “Dreams of Goya”, the symbolic possibilities constructed in the dreamlike life within the artist‟s paintings are thought alongside a metaphorical and literal night, which is associated to the madness of the night of reason.

Keywords: Night; Writing; Francisco de Goya; Georges Bataille; Maurice Blanchot.

 

Rayi Kena Ferraz da Cunha de Souza Teixeira

Título: Elogio à repetição: Matilde Campilho & Marília Garcia

Orientador(a):  Prof. Dr. Eduardo dos Santos Coelho

Páginas: 131

Resumo

A hipótese que esta pesquisa apontasurge da releitura de três obras contemporâneas de poesia em língua portuguesa: Jóquei (2015) de Matilde Campilho, Um teste de resistores (2014) e Parque das ruínas (2018) de Marília Garcia. A partir de uma leitura cerrada do texto poético levantamos a teoria de que a repetição enquanto recurso criativo para o emprego de efeitos poéticos aparece nas duas escritoras de maneira bem distintas mas igualmente significativas em cada obra, ao ponto de tornar-se um possível ponto de vista para uma leitura analítica. Observamos durante a pesquisa de que modo a repetição em Matilde Campilho funciona como uma via de estratégias reutilizáveis de escrita, recaindo, por vezes, no que acreditamos ser uma espécie de fórmula de conjunto semelhantes (graças ao reuso intenso de suas próprias táticas pessoais de escrita).Já em Marília Garcia, acreditamos, a repetição aparentemente supera o caráter eminentemente linguístico e estilístico da figura de linguagem e alcança um extrato de meio de expressão em si. A poeta carioca para operar largamente a metatextualidade e a conceptualização de seus textos se vale da repetição obsessiva e da reiteração reflexiva enquanto instrumentos não só de escrita, mas de sua própria percepção de mundo. Ao sairmos do “close reading” para lermos essas autoras contemporâneas, o que esperamos enquanto resultado é a potencialização de ambas poéticas num terreno que vem sendo deixado de lado mas que ainda possui, como buscamos demonstrar, uma grande riqueza analítica.

Palavras-chave: Matilde Campilho; Marília Garcia; poesia contemporânea; repetição; close reading.

Abstract 

The hypothesis this research points out arises from the re-reading of three contemporary works of poetry in Portuguese: Jóquei (2015) by Matilde Campilho, Um teste de resistores (2014) and Parque das ruínas (2018) by Marília Garcia. From a close reading perspective of the poetic text we raise the theory that “repetition” appears as a creative resource for the use of poetic effects in the two writers in very different ways but equally significant in each work, to the point of becoming a possible point of viewfor an analytical reading for us. We observed during the research how repetition in Matilde Campilho works as a route for reusable writing strategies, sometimes falling into what we believe to be a kind of similar set formula (thanks to the intense reuse of her own personal writing tactics). In Marília Garcia, we believe, repetition apparently overcomes the eminently linguistic and stylistic character of the figure of speech and reaches an extract of the means of expression itself. The poet from Rio de Janeiro, to achieve the metatextuality and conceptualization of her texts, largely relies on obsessive repetition and reflexive reiteration as instruments not only for writing, but for her own perception of the world. Using “close reading” to approach these contemporary authors, what we hope as a result is to potentialize both poetics in a field that has been put on a corner in Brazilian literary studies but that still has, as we try to demonstrate, a great analytical wealth.

Keywords: Matilde Campilho; Marília Garcia; contemporary poetry; repetition; close reading.

 

Rochelle de Sousa Guimarães

Título: As figuras constelares na poética de último round: uma montagem dos elementos constitutivos do livro-almanaque

Orientador(a):  Prof. Dr. André Luiz de Lima Bueno

Páginas: 112

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar o livro-almanaque Último Round, de Julio Cortázar, como uma síntese heterogênea que escapa ao princípio regulador da linearidade textual para criar pontos de ruptura na imagem uniforme do sistema literário tradicional e propor uma busca, tanto vital quanto estética, por novas formas do dizer. Com base no conceito cortazariano de almanaque e na proposta de linguagem poética, pretende-se refletir sobre as convergências entre a configuração híbrida da referida obra, que mescla poesia e política, boxe e reflexões críticas, erotismo e escrita desimpedida, e o processo criativo aberto e poroso proposto pelo escritor argentino em seu projeto de linguagem transformadora. Seguir a intenção labiríntica de Último Round implica, portanto, em uma observação atenta do mosaico textual que compõe o livro. Nesse sentido, sugere-se uma montagem crítica dos textos que integram a obra em consonância com algumas questões essenciais à escrita poética, às formas informes e variáveis, ao mecanismo do collage, ao jogo verbal que expande os significados, pontos estes discutidos e executados por Cortázar no livro-almanaque.

Palavras-chave: Julio Cortázar, livro-almanaque, linguagem poética, escrita aberta.

Abstract 

This study aims to analyse the almanac-book Último Round, by Julio Cortázar, as a heterogeneous synthesis that escapes the regulating principle of textual linearity to create rupture points in the uniform image of the traditional literary system and to propose a search, both vital and aesthetic, for new ways of saying. Based on Cortázar’s almanac concept and the proposal of poetic language, this work intends to reflect on the convergences between the hybrid configuration of the referred work, which mixes poetry and politics, boxing and critical reflections, eroticism and unimpeded writing, and the open and porous creative process proposed by the Argentine writer in his transformative language project. Therefore, following this labyrinthine intention implies a careful observation of the textual mosaic that composes the book. Seen in these terms, it is suggested a critical montage of the texts that integrate the book in line with some essential questions to the poetic writing, to the formless and variable forms, to the collage mechanism, to the verbal game that expands the meanings, points discussed and executed by Cortázar in the almanac-book.

Keywords: Julio Cortázar, almanac-book, poetic writing, open work.

 

Tatiane de Souza França Rangel

Título: O que resiste na dor
Sobre um caderno de Marguerite Duras

Orientador(a): Prof. Doutor Marcelo Jacques de Moraes

Páginas: 120

Resumo

O presente trabalho tem como objeto de análise o caderno La douleur, primeiro dos cinco
textos de Marguerite Duras publicados sob título homônimo, em 1985. O relato acompanha a
espera da narradora por notícias de seu então marido, Robert Antelme, preso e deportado
pelos alemães no fim da Segunda Guerra. Nossa leitura pretende, em um primeiro momento,
investigar como a escrita do caderno se constrói ao tentar dar forma à dor e à angústia
extremas de um sujeito que parece mimetizar no próprio corpo o estado imaginado de um
outro. O jogo entre presença e ausência que se estabelece na linguagem e nas imagens
representadas não cessa, contudo, com a chegada de Robert Antelme dos campos, assumindo
outras formas diante de sua presença. Diante dessa perspectiva, analisamos La douleur como
uma escrita de caráter imperativo, necessária à sustentação psíquica daquela que narra. Em
um segundo momento, investigamos como o texto do caderno é capaz de dar significado
coletivo ao trauma individual, firmando um compromisso contra o esquecimento e a favor de
uma memória e de uma dor compartilhadas. Pesquisamos como as representações femininas
dão uma nova dimensão aos relatos da guerra e abrem zonas de comunicação ou de
afastamento entre grupos de mulheres, demonstradas pelas escolhas morfológicas e
imagéticas presentes no texto. Da mesma forma, exploramos a figura do judeu trazida no
caderno e suas reverberações na literatura de Duras, para, enfim, justificar o porquê de
defendermos o relato como uma força da memória e como uma sobrevivência possível no
âmbito individual e coletivo.

Palavras-chave: Marguerite Duras; memória; testemunho; escrita; sobrevivência.

Résumé 

Ce mémoire a pour objet d’analyse le cahier La douleur, premier des cinq textes publiés par
Marguerite Duras sous ce titre en 1985. Le récit suit l’attente de la narratrice de nouvelles de
son mari à l’époque, Robert Antelme, après son arrestation et sa déportation par les
Allemands dans les dernières années de la Seconde Guerre. D’abord, on investigue la façon
dont l’écriture du cahier se construit dans l’effort de donner une forme à la douleur et à
l’angoisse extrêmes d’un sujet qui semble mimétiser dans son propre corps l’état imaginé
d’un autre. Le jeu entre la présence et l’absence établi par le langage et les images qu’il met
en scène ne cesse pourtant pas avec le retour de Robert Antelme, assumant d’autres formes
dans sa présence physique. Sous cette perspective, on soutient que l’écriture de ce texte prend
un caractère impératif, nécessaire au soutien psychique de la narratrice. Dans un deuxième
temps du travail, on examine la façon dont le texte du cahier est capable de donner un sens
collectif au trauma individuel, à partir d’un engagement contre l’oubli et en faveur d’une
mémoire et d’une douleur partagées. Les représentations des femmes donnent une nouvelle
dimensions aux récits de guerres, en ouvrant des zones de communication ou d’écart entre
des groupes de femmes, signalées par les choix morphologiques et imagétiques présents dans
le texte. De la même manière, nous explorons la figure du juif telle qu’elle se produit dans le
cahier ainsi que ses réverbérations dans la littérature de Duras, pour, enfin, soutenir le récit
comme une survie possible dans le cadre individuel et collectif.

Mots-clés: Marguerite Duras; mémoire; témoignage; écriture ; survivance.

DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS EM 2019

Total de dissertações defendidas: 12

Agostine Braga dos Santos

Título: A linguagem mítica n‘As Metamorfoses de Murilo Mendes

Orientador(a):  Prof. Dr. Eduardo Guerreiro Brito Losso

Páginas: 99

Resumo

Em fins dos anos 30 o Brasil se viu acercado de tensões sociopolíticas exteriores que iriam agravar os próprios embates nacionais. Nesse contexto turbulento, na iminência da Segunda Guerra, a lírica de Murilo Mendes se desdobra numa poética bastante singular à de seu tempo, culminando nos dois livros que compõem a obra As Metamorfoses (1938-1941). Nesta pesquisa estudamos os processos de produção desta obra, que está repleta de poemas configurados por uma linguagem arcaica, simbólica, muito similar àquelas antiquíssimas de um mundo puro, natural, ainda em-formação. É por essa via mítica, mágica, que o poeta mineiro tentará implodir seu mundo histórico, instaurando uma nova era, a própria Esperança.

Palavras-chave: Murilo Mendes; As Metamorfoses; mito; lírica.

 

André Luis Dias Carvalho
Título: Entre claridade e escuridão: “No coração das trevas”

Orientador(a):  Prof. Dr. João Camillo Barros de Oliveira Penna

Páginas: 118

Resumo

A novela de Conrad tanto ilumina quanto obscurece. Ela trata de luz e trevas; momentos de clareza e momentos de escuridão; de dubiedade e contradição. Essas são as marcas características de “No Coração das Trevas” do polonês, radicado na Inglaterra, Joseph Conrad. Enfrentar esta narrativa significa enfrentar todos esses momentos, e refletir sobre o significado dos eventos narrados por seu protagonista e narrador, Charlie Marlow. A narrativa é vista por muitos como uma obra carregada dos preconceitos raciais característicos de sua época. Por este motivo se sobressai como um relato da brutalidade do período colonial e imperialista do final do séc XIX até meados do séc XX. Contudo, não é apenas um retrato da visão colonial, expansionista e imperialista, tampouco aborda criticamente essas políticas. O premiado escritor nigeriano Chinua Achebe defende que esta obra nada mais é que um relato do racismo de seu autor. Por outro lado, um dos críticos e intelectuais mais lidos do séc XX, Edward Said, argumenta que a novela conradiana – sem deixar de lado esta controvérsia – é um relato vivo sobre os empreendimentos coloniais apresentando seus ciclos de dominação e métodos brutais que permaneceram mesmo após o período da descolonização. A novela é convidativa para reflexão destes temas. Nosso intuito é, em certa medida, desbravar a narrativa para reforçar estes mesmos temas. Para efeito de análise utilizaremos textos teóricos, críticos e analíticos de “No Coração das Trevas”, bem como contaremos com auxílio da Filosofia enquanto suporte e arcabouço teórico. Deste modo permaneceremos tanto na Teoria Literária quanto na Filosofia para podermos navegar no halo luminoso que a obra sugere.

Palavras-chave: Joseph Conrad – No Coração das Trevas – Teoria Literária – Filosofia

 

Danilo Diógenes Mataveli da Silva
Título: Tudo, menos literatura: a antipoesia de Nicanor Parra

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Luciana di Leone

Páginas: 113

Resumo

A antipoesia de Nicanor Parra e o seu ethos vanguardista. As relações afetivas e as formas-de-vida como princípios fundamentais da práxis antipoética. O abandono do valor artístico, a escrita antiliterária e o sentido político da antipoesia.

 

Gabriel das Chagas Alves Pereira de Souza
Título: Pérolas negras na periferia: um estudo comparativo de personagens femininas em Not Without Laughter, de Langston Hughes, e Clara dos Anjos, de Lima Barreto

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Beatriz Vieira de Resende

Páginas: 150

Resumo

A presente dissertação parte da leitura comparativa de dois romances: Not without laughter, do norte-americano Langston Hughes, e Clara dos Anjos, do brasileiro Lima Barreto. O intuito do trabalho é delinear apontamentos em torno das personagens femininas dessas duas narrativas, demonstrando a autossuficiência das mulheres negras nas obras. A fim de tecer leituras contemporâneas, a pesquisa problematiza a fortuna crítica em torno dos autores e propõe que os dois livros são, predominantemente, conduzidos por presenças de mulheres, o que é feito a partir da premissa pós-colonial. Assim, enfocando estudos sobre a negritude no que tange à recepção de Langston Hughes e de Lima Barreto, utiliza-se uma bibliografia interdisciplinar, percorrendo textos advindos de diferentes campos das Ciências Humanas, tais como os escritos de Abdias Nascimento, de Achille Mbembe, de Aimé Césaire, de Angela Davis, de Frantz Fanon, de Gayatri Spivak, de Judith Butler e de Lilia Moritz Schwarcz. Com isso, almeja-se explorar o olhar comparativo entre as literaturas afro-brasileira e afro-norteamericana, caminho ainda pouco aprofundado no atual cenário teórico.

Palavras-chave: Lima Barreto, Langston Hughes, literatura afro-brasileira, literatura afronorte-americana, teoria pós-colonial, decolonialidade.

Abstract 

This dissertation proposes a comparative reading of two novels: Not without laughter, by the American author Langston Hughes, and Clara dos Anjos, by the Brazilian writer Lima Barreto. The purpose of this research is to outline thoughts about the female characters of these two narratives, demonstrating the self-sufficiency of black women. In order to stimulate contemporary readings, the research discusses the critical fortune surrounding the authors and suggests that both books are predominantly driven by women’s presence, which is based on the postcolonial premise. Thus, focusing on studies of blackness, regarding the reception of Langston Hughes and Lima Barreto, we use an interdisciplinary bibliography, covering texts from different fields of the Human Sciences, such as the writings of Abdias Nascimento, Achille Mbembe, Aimé Césaire, Angela Davis, Frantz Fanon, Gayatri Spivak, Judith Butler and Lilia Moritz Schwarcz. In brief, it aims to explore the comparative look between AfroBrazilian and Afro-American literatures, a still undeveloped perspective in the current theoretical scenario.

Keywords: Lima Barreto, Langston Hughes, African Brazilian literature, African American Literature, post-colonial theory, decoloniality.

 

Iara Machado Pinheiro
Título: O que passa e o que fica: os tempos de A Amiga Genial

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Flavia Trocoli Xavier da Silva

Páginas: 226

Resumo

Este trabalho busca ler a tetralogia A amiga genial (2011 – 2014), de Elena Ferrante, com o recorte das construções temporais. Partindo do que é colocado no prólogo como justificativa da escrita – o desaparecimento sem restos de Lina – proponho que a longa narrativa, que atravessa a segunda metade do século XX, é o esforço da narradora, Elena, de recolher os vestígios que sua amiga não pôde apagar. A partir da leitura cerrada dos quatro livros, a tentativa foi segmentar o tempo em três eixos: a atualidade da escrita, o tempo que passa e o tempo que estanca. O primeiro deles partiu da distinção do presente do indicativo e do passato prossimo no prólogo e no epílogo para propor uma exterioridade dessas partes em relação à temporalidade cronológica e como estruturas limitadoras que forçam um começo e um fim. O segundo eixo se dedicou a explorar a estrutura geral dos seis capítulos que compõem a história, e a relação entre a passagem do tempo, a ampliação do espaço narrativo e as possibilidades de nomeação por parte da narradora, para pensar a temporalidade nas formas de representação. O terceiro propõe deter-se, primeiramente, nas sutilezas da construção da voz da narradora que tenta dar forma à amiga; seja por meio de um movimento de distinção entre as duas, seja por meio da reescrita das palavras dispersas de Lina e, em seguida, pensar nas aparições da desmarginação [smarginatura] – a sensação angustiada na qual os contornos que separam corpo e o ao redor desaparecem. Por fim, proponho pensar a escrita como um inventário de heranças que subsistem à passagem do tempo e ao apagamento.

Palavras-chave: Elena Ferrante, Teoria literária, Tempo, Literatura italiana.

 

Leonardo Apolinário Alves de Lima
Título: Aparecer o desaparecimento. Dor e epifania em James Joyce

Orientador(a):  Prof. Dr. Ricardo Pinto de Souza

Páginas: 111

Resumo

O que vemos na superfície da escritura – tessitura joyciana nos olha de volta como um abismo. Um texto, um emaranhado capaz de dragar para o fundo de um rio correcorrido – riverrun – quem ousar manter sua aura. Este trabalho embrenha-se na tessitura de um texto que, apesar de imenso ao primeiro olhar como é Ulisses de Joyce, perde seu volume, desaparece ao aparecer. Eis a epifania joyciana: fazer aparecer o desaparecimento. O romance burguês cai em Joyce, escorrega para fora da narrativa e o que surge? O que aparece? A escrita da dor. Em nossa hipótese de leitura recorremos a Walter Benjamin para compor uma ideia de história que sustente essa corredeira, talvez uma ideia de penamento. Recorremos a Baudelaire que com sua poesia dá margens ao perambular de Leopold Bloom por uma Dublin vitrificada. Bloom, um fantasma em choque em meio a fantasmagoria moderna e a voracidade de um fluxo, o fluxo da dor. Que dor? O filho morto do casal Bloom, a arte em agonia e o esforço do jovem Dedalus em salvá-la, a dor no exílio, e dor da guerra. Assim, o arco de questões pelo qual deambulamos encontra sua morada numa arqueologia do texto Em uma ideia de romance e no choque que há em ler a dor de se viver em meio a crise e ser olhado por essa Górgona que vitrifica.

 

Maíra Barbosa Ferreira da Silva

Título: O indomesticável em nós: uma conversa entre mulheres que escrevem

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Martha Alkimin de Araújo Vieira

Páginas: 92

Resumo

Pensar na poesia contemporânea é pensar em uma poesia que, como assinala Annita Costa Malufe, se alimenta da crise, “como se nascesse dela ou nela encontrasse seu possível ‘lugar’” (MALUFE: 2012, p.2). Segundo ela, desde a modernidade, a arte vem assumindo, cada vez mais, uma postura contestadora, crítica e questionadora diante do status quo. Frente ao contexto cada vez mais instável do contemporâneo, não surpreende que a poesia produzida atualmente abrace ainda mais tal postura, adentrando o campo político e social e abandonando qualquer ideia de uma poesia que se isenta quanto aos conflitos de seu tempo; uma poesia composta por inúmeras autoras mulheres e que está agora mesmo sendo produzida, publicada, divulgada, debatida, se fazendo e se pensando simultaneamente entre mulheres que escrevem, que leem, criticam, conversam, trocam, assinalando com firmeza o lugar de onde falam e ressaltando, através desse gesto, a relevância de suas falas. Pensando nisso, neste trabalho nos debruçamos sobre autoras que parecem não apenas escapar das construções estabelecidas de feminino, como também questionar e subverter tais categorias, produzindo obras que reafirmam a necessidade de falar sob a perspectiva feminina – principalmente sob a perspectiva de mulheres cuja existência marginalizada vem sofrendo um histórico apagamento – como uma resistência política e exercício de autonomia diante de um sistema decidido a determinar quem pode e quem não pode falar.

Palavras-chave: poesia; poesia brasileira; poesia contemporânea; autoria feminina, teoria literária.

 

Marcella Assis de Moraes
Título: Dizer a imagem – Uma leitura de Nuno Ramos

Orientador(a):  Prof. Dr. João Camillo Penna

Páginas: 101

Resumo

A hipótese que este texto levanta é a de que o entrelaçamento entre texto e matéria são centrais no trabalho de Nuno Ramos, a ponto de que toda a sua obra se desloque em torno desse eixo. A partir dela, torna-se visível a maneira como, na imagem, linguagem e matéria se entremeiam, constituindo uma a outra. Texto e obra compõem uma unidade fraturada capaz de lançar novas possibilidades de ver, dizer e pensar. O objetivo deste texto é, portanto, deter-se diante do trabalho de Ramos, não tanto para pensar a inespecificidade que constituiria o que é específico do contemporâneo, mas para elaborar a maneira como ele opera essa relação fundamental entre texto e obra plástica, que, no limite, pode se inscrever em toda experiência com a literatura e com a arte.

Palavras-chave: Nuno Ramos; texto; matéria; imagem; inespecificidade.

 

Paula Albuquerque
Título: Estética da Sarjeta: ocupação literária do espaço urbano

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Vera Lins

Páginas: 136

Resumo

Esta dissertação fala em escombros, mas também sobre a movimentação de reconstruir os fragmentos. A partir da noção de ruptura da tradição, buscamos elaborar um pensamento sobre formas que poderiam compor uma Estética da Sarjeta. Partimos de uma noção concreta de cidade, seus barulhos, urbanização e vias caóticas produzidas e fomentadas por um sistema devorador, até atingirmos noções mais abstratas. Até que voltamos, ao final do terceiro capítulo com Lima Barreto. O termo compõe entendimento com a noção de corpo poético feminino, especificando o corpo poético feminino preto, duplamente à margem: por ser um corpo de mulher e por ser um corpo de mulher preta (em uma sociedade racista de concepção escravocrata). Assim, também estabelecemos uma analogia com o poema em prosa, antigênero literário, considerado apoético, e que subverteu valores canônicos estabelecidos.

Palavras-chave: Estética, Poema em prosa, Baudelaire, Literatura de mulheres, Urbanização, América Latina, Poesia da sarjeta.

 

Raianny de Andrade Amaral
Título: Novela sin novela, literatura sin literatura: a contemporaneidade em Alejandro Zambra

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Beatriz Resende

Páginas: 83

Resumo

Esta dissertação tem o intuito de inserir a literatura do escritor chileno Alejandro Zambra nas discussões sobre arte e literatura contemporânea. Nossa problemática parte de duas questões principais: entender o conceito de contemporâneo na literatura atual e como podemos analisá-lo em três obras de Zambra, Bonsai (2012), A vida privada das árvores (2013) e Facsímil (2014). Propomos, primeiramente, uma discussão sobre o contemporâneo, sua problematização no campo da teoria da arte e da literatura baseando-nos em Boris Groys (2009), Terry Smith (2009) e Jean Luc-Nancy (1996). Em segundo, como características dessa contemporaneidade, perceberemos na narrativa de Zambra a rasura nas noções de estilo, gênero textual, da percepção canônica de autor, leitor, e até mesmo de literatura. Para isso, embasaremos está pesquisa nas teóricas Josefina Ludmer (2013) e Florencia Garramuño (2016), pois exploram essas questões a partir das noções de inespecificidade e literatura pós-autonôma. O objetivo de tais abordagens é apreender as novas possibilidades de criação em um campo literário interdisciplinar e aberto às novas formas e indagações.

Palavras-chave: Alejandro Zambra, contemporâneo, literatura latino-americana.

 

Raquel Reis Rodrigues
Título: Os últimos escritos de Ernest Hemingway: um estudo sobre a memória

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Beatriz Vieira de Resende

Páginas: 124

Resumo

Ernest Hemingway conseguiu, em seu tempo, tocar em muitas feridas da humanidade. Seus escritos sobre guerra e a crítica à sociedade moderna que ele fazia constantemente encaixaram em uma prosa limpa, magra e vívida, que modificou – para muitos críticos – o panorama da escrita em prosa no mundo. Quase sessenta anos após sua morte, porém, novas leituras sobre o escritor começam a aparecer. Dessa vez, os críticos e os leitores até hoje apaixonados pelo estilo de escrita do autor tocam sua ferida. Como se constrói o conceito de masculinidade? Segundo Mary Dearborn (2017), a primeira mulher a realizar um trabalho biográfico do escritor norteamericano, se constrói a partir de figuras como a do próprio Ernest Hemingway. No entanto, muito ficou submerso em sua vida, mas temos algumas pistas que surgem a partir da observação atenta nas suas heroínas, aquelas mulheres fortes e independentes que roubam o coração de seus protagonistas. Há quem quisesse trazer o escritor para o contemporâneo grupo de autores queer, devido a caracterização um tanto masculinizada de suas mulheres. Neste trabalho, proponho a leitura de duas publicações póstumas de Hemingway: Paris é uma festa e O Jardim do Éden. Ambas possuem discussões relacionadas ao excesso de edição realizada pela família do escritor. A partir dessas obras veremos como anda a crítica de um dos grandes escritores do século passado e, para isso, recorreremos à pesquisa de sua memória e como ela emergia em seu trabalho.

Palavras-chave: Memória. Biografia. Hemingway.

 

Rebeca Alexandre Magno
Título: Rastros no fio do tempo: uma análise de O Fim do Homem Soviético de Svetlana Aleksiévitch

Orientador(a):  Prof. Dr. Ricardo Pinto de Souza

Páginas: 111

Resumo

Abordar a escrita de Svetlana Aleksiévitch implica em defrontar-se com os desafios de constituir o passado através de uma trama complexa e heterogênea. Afinal, trata-se de uma escrita extensa composta de múltiplos e variados testemunhos transcritos que revelam a história do pequeno e do cotidiano por trás dos eventos que marcaram a Grande História, principalmente a soviética. Aleksiévitch, no entanto, não faz das palavras ditas pelo outro um canal para o passado como ele aconteceu, mas como um meio de transmissão da complexa trama que foi o “drama soviético”. Através de múltiplas perspectivas, são reveladas ao leitor tanto imagens de eventos traumáticos quanto a insustentabilidade da realização de um discurso histórico e de uma identidade bem delineados. Desse modo, percebe-se na obra definições em crise: a do “homem soviético” após o fim da União Soviética, a da representação do “real” na literatura contemporânea, a da credibilidade da obra de não ficção. Quando laureada com o Nobel da Literatura em 2015, Aleksiévitch vivenciou certa rejeição à leitura de sua obra como literatura. Essa controvérsia indica a persistência em recepcionar a literatura contemporânea “encaixando-a” em definições consagradas e numa rígida relação binária entre fato e ficção. Diante dessas questões, a presente pesquisa aborda os aspectos gerais do ciclo denominado de “Vozes da Utopia”, de Aleksiévitch, formado por cinco livros, com foco específico em O fim do homem soviético (2016), justamente a obra que retoma eventos históricos das obras predecessoras e intensifica o tema elo do ciclo, o homem soviético em seu íntimo.

Palavras-chave: literatura contemporânea, literatura russa, jornalismo literário, literatura testemunhal, Svetlana Aleksiévitch.

 

DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS EM 2018

Total de dissertações defendidas: 14

Alice Alberti Faria
Título: Um, nenhum e cem mil Pirandellos: percursos de leitura no romance e no arquivo

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Luciana María di Leone

Páginas: 106

Resumo

Esta dissertação tem como objetivo apresentar diferentes percursos de leitura do romance Um, nenhum e cem mil, escrito por Luigi Pirandello entre 1910 e 1925, em articulação com textos do arquivo do autor depositado no Istituto di Studi Pirandelliani, em Roma. A posição autoral é investigada com base em entrevistas e outros textos de Pirandello em que há uma perfomatização do eu. Os discursos sobre essa figura autoral proferidos ora por Pirandello, ora por sua crítica, se confrontam com a função autor no romance estudado e estabelecem aproximações com o narrador Vitangelo Moscarda. São traçadas linhas de convergência entre o discurso amoroso no epistolário de Pirandello e a posição do leitor no romance; os enunciadores nas duas instâncias se dirigem ao interlocutor com exigências. Discute-se a função que o símbolo do espelho, recorrente em entrevistas, textos críticos e até no epistolário de Pirandello, exerce em Um, nenhum e cem mil, sendo o ponto de partida da crise narrada por Moscarda – diante de sua imagem espectral, o personagem se descobre fragmentado. O desfecho do romance, no entanto, oferece outra alternativa à fragmentariedade, abolindo os limites do corpo. A abordagem da loucura em Um, nenhum e cem mil também é interrogada por meio do arquivo Pirandello, especialmente dos vestígios de sua esposa Antonietta, que, em 1919, é internada em um hospício, de onde nunca sai. Esse evento coloca de forma explícita o confronto entre arte e vida na obra de Pirandello, questão que paira sobre a dissertação como um todo.

Palavras-chaves: Luigi Pirandello, Um, nenhum e cem mil, Autor, Leitor, Arquivo Pirandello, Teoria literária.

 

Brayan Gabriel Mamani Magne
Título: Augusto Céspedes y la representación del enemigo en la Guerra del Chaco

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Luiza Leite Bruno Lobo

Páginas: 99

Resumo

Este trabajo reflexiona sobre la representación del enemigo en la narrativa de la Guerra del Chaco y tiene como referencia el libro de cuentos Sangre de mestizos (1936) del escritor boliviano Augusto Céspedes. La Guerra del Chaco (1932-1935) fue un conflicto bélico entre Bolivia y Paraguay por el control de la región del Chaco Boreal. Como toda guerra, este evento generó en la sociedad y en los intelectuales un sentido de pertenencia y, al mismo tiempo, una otredad que se sintetizaría en la búsqueda de un enemigo común. En la obra de Céspedes, la enemistad no está presente en la figura del soldado paraguayo, adversario directo de los bolivianos en el campo de batalla, sino en otros elementos. En el trabajo, se analiza cómo el autor retira toda la enemistad del soldado paraguayo y, en última instancia, la sitúa en la geografía inhóspita del Chaco y en las elites regionales, que funcionan como personajes invisibles que determinan el desarrollo de las tramas. Da mesma forma, procura-se entrelaçar o conteúdo do livro ao conjunto de ideias consolidadas no período pós-guerra, entre as quais a consciência de que, até a época da guerra, não havia nação boliviana e que era necessário construí-la.

Palavras-chave: Augusto Céspedes; literatura boliviana; Guerra del Chaco; enemigo; nacionalismo revolucionario

Abstract 

This work discusses the representation of the enemy in the narrative about The Chaco War by the Bolivian writer Augusto Céspedes, especially in the book Sangre de mestizos (1936, Mestizo Blood). The Chaco War (1932-1935) was a conflict that involved Bolivia and Paraguay for the control of the Chaco Boreal region. Like any war, this event generated a social and intellectual sense of belonging among these peoples, but, at the same time, a sense of ambiguity that resulted in the search for a common enemy. In his book Sangre de mestizos, Céspedes does not represent the enemy of the Bolivians in the figure of the Paraguayan soldier, or a direct opponent of the Bolivians in the battlefield. Instead, he blames geography of the Chaco region and its regional elites for the war. In the analysis of the short stories that compose the book, we will examine the elements of war as invisible characters that determine the development of the plots. We will conclude, through Cespedes’ book, that Bolivia as a country was only consolidated in the post-war period and that beforehand it consisted of just an agglomeration of communities.

Keywords: Augusto Céspedes; Bolivian literature; Chaco War; enemy; revolutionary nationalism

 

Guido Vieira Arosa
Título: A dor que temos e a esperança que ainda não perdemos: os testemunhos literários homossexuais de Pierre Seel e Reinaldo Arenas

Orientador(a):  Prof. Dr. João Camillo Barros de Oliveira Penna

Páginas: 185

Resumo

Essa dissertação aborda os testemunhos literários homossexuais do cubano Reinaldo Arenas (1943-1990) e do francês Pierre Seel (1923-2005), Antes que anoiteça (2009 [1992]) e Eu, Pierre Seel, deportado homossexual (2012 [1994]). O trabalho se utiliza dos conceitos de trauma e de literatura de testemunho, ou seja, da literatura do sujeito traumatizado que em texto rememora sua situação-limite experienciada no corpo, que remete a uma perspectiva interdisciplinar, entre o literário (o fazer textual), o histórico (o contexto do período), o psicanalítico (as implicações do trauma) e o jurídico (a exigência de reparação de um direito subtraído). Arenas, escritor crítico da política de estado de seu país, foi perseguido pelo governo de Fidel Castro por conta de seus textos e de sua sexualidade. Após fugir, em 1980, para os Estados Unidos, se descobre portador do vírus do HIV, o que faz com que cometa suicídio, em 1990. Seu livro, escrito já nos últimos anos de vida, aborda a perseguição em Cuba, e mais que isso: é um texto impulsionado pela doença que eventualmente o matará – doença que afirma não conhecer, se apresentando a ele como um grande enigma que irá aniquilá-lo. Já Seel foi fichado pela polícia francesa, em 1941, como homossexual, após ter um relógio seu roubado em uma praça onde havia encontros entre pessoas do mesmo sexo. Por conta disso, ele foi enviado para um campo de concentração nazista. Após ser libertado, adentra uma vida heteronormativa. É apenas no começo dos anos 1980 que, já idoso, volta ao passado e começa a relatar sua experiência de trauma, se tornando com isso o primeiro homossexual francês a narrar, em livro, sua deportação durante a Segunda Guerra. Assim, tendo como foco esses dois textos fundamentais para pensar o que significou ser gay ao longo do século XX, essa dissertação tem um duplo objetivo: ao mesmo tempo, entender o sujeito político homoafetivo no direito de ter seu discurso lido e ouvido, e, inversamente, buscar maneiras de pensar o silêncio imposto sobre ele pelo outro. As páginas adiante detalham a vida de dois homossexuais que viveram a deportação, o cárcere e a doença, que lutaram para tentar sair da sombra e ganhar protagonismo por meio da escrita.

Palavras-chave: Literatura de testemunho. Homossexualidades. Pierre Seel. Reinaldo Arenas.

Abstract 

This dissertation addresses the homosexual literary testimonies of Reinaldo Arenas (Cuba, 1943-1990) and Pierre Seel (France, 1923-2005), namely Before night falls (Antes que anoiteça (2009 [1992])) and I, Pierre Seel, deported homosexual (Eu, Pierre Seel, deportado homossexual (2012 [1994])). This work uses the concepts of trauma and testimonial literature, that is, the literature of the traumatized subject where the text recalls the extreme situation experienced in his body. The approach is interdisciplinarity, traversing the fields of literature (the textual making), history (the context of the period), psychoanalysis (the implications of the trauma), and law (the demand of restitution of an injustice). Arenas, a critic of the politics of his country, was persecuted by Fidel Castro’s government because of his texts and his sexuality. After fleeing to the United States, in 1980, he discovered he had HIV, which led him to commit suicide, in 1990. His book, written in the last years of his life, addresses not only his persecution in Cuba, but also the impulse of a disease that would eventually kill him – a disease he claimed not to be aware of, a great riddle that would annihilate him. Seel, on the other hand, was arrested by French police in 1941 for being a homosexual, after he had his watch stolen in a square where people of the same sex used to meet. Because of that, he was sent to a Nazi concentration camp. After being released, he started a heteronormative life. It is only in the early 1980s, when he was already elderly, that he went back to the past and began to write about his traumatic experience, becoming the first French homosexual to narrate, in a book, his deportation during World War II. Thus, focusing on these two texts which are fundamental in order to think about what it meant to be gay throughout the twentieth century, this work has a double goal: at the same time to understand the right that a homoaffective political person has to have his speech read and heard, and inversely to think the silence which is imposed on him by the other. The pages below, then, dissect the lives of two homosexuals who have experienced deportation, imprisonment, and illness, and who have struggled to get out of the shadows and have a voice in their writing.

Keywords: Testimonial literature. Homosexualities. Pierre Seel. Reinaldo Arenas.

 

Lucas de Aguiar Cavalcanti
Título: “A claridade de uma ausência – uma leitura de contos de Virginia Woolf e Clarice Lispector”

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Flavia Trocoli Xavier da Silva

Páginas: 111

Resumo

As possíveis relações entre as obras de Virginia Woolf e Clarice Lispector têm sido apontadas desde a publicação do primeiro romance da escritora brasileira em 1943. No entanto, não há grande quantidade de estudos que se aprofundem nessa relação. Este trabalho tem como objetivo estudar a relação entre a obra das autoras de forma detalhada, focando-se na prosa curta. Deste modo, pretende-se ajudar a desenvolver a compreensão do conto como gênero de fundamental importância na obra de ambas autoras, além de levar os estudos comparativos de suas obras para uma esfera pouco explorada. Este estudo se apresenta como uma leitura atenciosa de três contos de cada autora, desenvolvendo a partir dos textos, pela leitura cerrada de trechos específicos, problemas e modos de leitura que permitem diálogo entre as obras. Os textos escolhidos não foram determinados a partir de períodos específicos das obras das autoras, tampouco a partir de recortes temáticos. A escolha dos textos a serem comparados foi feita após a leitura de cada um deles, o que permitiu identificar problemas de leitura semelhantes. O não dito, o inconcluso, o esvaziamento do eu e as relações entre ausência e linguagem são alguns dos problemas de leitura que serão estudados neste trabalho, sendo apontados também como formas de ler. Para abordar essas questões que se apresentam a partir da leitura dos textos, o trabalho dialoga com linhas teóricas da psicanálise, da teoria crítica feminista, da teoria literária e da filosofia.

Palavras chaves: Contos. Clarice Lispector. Virginia Woolf.

Abstract 

The possible relations between Virginia Woolf’s and Clarice Lispector’s works have been claimed since the publication of the Brazilian writer’s first novel in 1943. However, there is not a great quantity of studies that deeply analyze this relation. This study aims at investigating the relation between the two writers’ work, focusing on their short writing. Therefore, this research aims at developing the understanding of the short story as a fundamental genre in both oeuvres, as well as taking comparative studies of these works to a less explored field. This study intends to be an attentive reading of three short stories by each author, analyzing reading problems and ways of reading that allow a conversation between both works. These problems and ways of reading are brought from the texts through close reading. The texts chosen in this work were not determined from specific periods of the writers’ production, neither from thematic aspects. The choice of the texts to be analyzed was made after the reading of each of them. This procedure allowed me to identify similar reading problems. What is not said, the inconclusive, the emptiness of the self and the relations between absence and language are some of the reading problems to be analyzed. These are also seen as ways of reading. In order to approach those questions that emerge from the reading of the texts, this research relies on theoretical fields such as psychoanalysis, feminist critical theory, literary theory and philosophy.

 

Nicolas Lima Peixoto
Título: Epifania n’O Aleph de Jorge Luis Borges

Orientador(a):  Prof. Dr. Eduardo Guerreiro Brito Losso

Páginas: 79

Resumo

“A dissertação busca analisar o conto “O Aleph”, de Jorge Luis Borges, à luz do conceito de epifania, evidenciando a experiência mística ocorrida no clímax do conto. Para tanto, percorremos os caminhos sugeridos pelo próprio Borges em seus textos, o que nos levou ao estudo de duas correntes místicas importantes para o escritor argentino: o misticismo judaico da cabala e o gnosticismo. Assim, primeiramente mapeamos a relação existente entre Borges e a cultura judaica e a influência da corrente gnóstica em sua escrita. Em seguida, examinamos a relação entre magia, mística e poesia no poema “O golem”. Por fim, analisamos “O Aleph”, buscando compreender a experiência mística vivida no conto, observando também uma tensão entre técnica e modernidade e essa experiência epifânica.”

Palavras-chave: Teoria da Literatura. Jorge Luis Borges. Mística. Cabala. Gnosticismo.

Abstract 

The master’s thesis seeks to analyze the story “The Aleph”, by Jorge Luis Borges, in the light of the concept of epiphany, evidencing the mystical experience occurred at the climax of the tale. For this purpose, we have followed the paths suggested by Borges himself in his texts, which led us to study two important mystical trends for the Argentine writer: the Jewish mysticism of Kabbalah and Gnosticism. Thus, we’ve first mapped the relationship between Borges and Jewish culture and the influence of the Gnostic trend on his writing. Next, we’ve examined the relationship between magic, mysticism and poetry in the poem “The Golem.” Finally, we’ve analyzed “The Aleph”, seeking to understand the mystical experience lived in the story, also observing a tension between technique and modernity and this epiphanic experience.

Keywords: Literary Theory. Jorge Luis Borges. Epiphany. Kabbalah. Gnosticism.

Pablo Baptista Rodrigues
Título: Franz Kafka: metamorfose da liberdade e submissão.

Orientador(a):  Prof. Dr. Ricardo Pinto de Souza

Páginas: 113

Resumo

Esta dissertação tem como objetivo analisar o modo como Franz Kafka apresenta o tema da liberdade e da submissão em sua literatura, a partir dos textos “Um relatório para um academia” e A metamorfose. Com base nas considerações de Günther Anders (2007), buscou-se observar como esses dois conceitos filosóficos encontram, na literatura kafkiana, uma abordagem totalmente original, diante da tradição filosófica e literária. Buscou-se, ainda, observar como esse tema amplia a compreensão da condição humana contemporânea, da qual acreditou-se ser Franz Kafka um importante crítico. A ideia inicial deste trabalho foi observar como, em situações de profunda submissão, os personagens kafkianos reagem às instâncias de poder como as leis, a burocracia e a família. Os personagens Pedro Vermelho e Gregor Samsa são tomados como heróis que resistem na e pela submissão. Há, portanto, uma transvaloração dos conceitos de liberdade e de submissão. Ambos os termos passam a ser criticados; porém, a liberdade, quando presente no texto kafkiano, é destituída de toda sua positividade. Ao contrário, a submissão dos personagens de Franz Kafka pode ser vista como uma pedagogia de uma nova resistência. A construção desta dissertação fundamentou-se nos seguintes aportes teóricos. Primeiramente, acreditou-se ser necessária a fundamentação da relação da literatura com a filosofia, por meio dos autores Alain Badiou, Jeanne Marie Gagnebin e Pedro Duarte de Andrade. Num segundo momento, pôde-se, então, afirmar que a literatura de Kafka dialoga com a filosofia da suspeita de Nietzsche, Freud e Marx, com o texto homônimo de Michel Foucault. Posteriormente, os conceitos de liberdade e de submissão foram lidos na perspectiva da suspeita, a partir dos textos de Hannah Arendt, Isaiah Berlin, Erich Fromm e Frédéric Gros.

Palavras-chave: Franz Kafka; Liberdade; Submissão.

Abstract 

This master’s thesis aims to analyze how Franz Kafka presents the theme of freedom and submission in his literature from the texts “A Report to an Academy” and The Metamorphosis. Based on the considerations of Günther Anders in his book, Kafka pro und contra: Die Prozess-Unterlage, it was observed how these two philosophical concepts find in Kafka’s literature a very original approach to the philosophical and literary tradition. It was also sought to observe how this theme broadens the understanding of the contemporary human condition, in which Franz Kafka was believed to be an important critic. The main idea of this work was to observe how Kafka’s characters react to instances of power as the laws, the bureaucracy and the family when they are in situations of deep submission. The characters “Pedro Vermelho” and “Gregor Samsa” are understood as heroes who resist “in” and “by” submission. Therefore, there is a metamorphosis in the concepts of liberty and submission and both philosophical terms are criticized in Franz Kafka’s literature. However, the feeling of freedom is devoid of all its positivity when presented in a Kafkaesque text. On the other hand, the submission of Franz Kafka’s characters may be seen as a pedagogy of a new resistance. The writing of this master’s thesis was based on the following theoretical contributions. Firstly, it was necessary to establish the relationship between literature and philosophy through the works of the authors Alain Badiou, Jeanne Marie Gagnebin and Pedro Duarte de Andrade. After that, it can be said that Kafka’s literature dialogues with the philosophy of the suspicion of Nietzsche, Freud and Marx, with the eponymous book of Michel Foucault. Subsequently, the concept of freedom and submission is read from the perspective of suspicion philosophy from Hannah Arendt, Isaiah Berlin, Erich Fromm and Frédéric Gros.

Paola Ramos Ladeira

  Título: “Tenho missão tão grave sobre os ombros/ e quero só vadiar”: o corpo, o feminino e uma política do cotidiano na poética de Adélia Prado

Orientador(a):  Profa. Dra. Luciana di Leone

Páginas: 92

Resumo

O corpo é um componente recorrente nos poemas de Adélia Prado. Contudo, nunca fora pensado enquanto exponencialmente político em sua poética. Alguns críticos como Frei Betto, Augusto Massi e Antonio Hohfeldt mencionam, respectivamente, um poema com engajamento político, políticas do cotidiano e um discurso que questiona a domesticação do corpo. Entretanto, suas abordagens velam traços de recorrência de sua carga política, para além de tratar o corpo de forma tradicional. Nessa perspectiva, temos o presente trabalho que propõe uma leitura de alguns poemas de Adélia Prado, retirados de Poesia Reunida, pretendendo demonstrar sua configuração política, dentro do limite da política do menor, no plano do corpo, do feminino e do cotidiano.

Palavras-chave: Adélia Prado; poema; corpo; feminino; política.

Abstract 

The body is a recurring component in the poems of Adélia Prado. However, he had never been thought of as exponentially political in his poetics. Some critics such as Frei Betto, Augusto Massi and Antonio Hohfeldt mention, respectively, a poem with political engagement, everyday politics and a discourse that questions the domestication of the body. However, their approaches guard traces of recurrence of their political burden, in addition to treating the body in a traditional way. In this perspective, we present the present work that proposes a reading of some poems of Adélia Prado, taken from Poesia Reunida, intending to demonstrate its political configuration, within the limits of the politics of the minor, in the plane of the body, the feminine and the daily.

Keywords: Adélia Prado; poem; body; female; policy.

 

Patrick Gert Bange

  Título: Walter Benjamin sob o risco de Marcel Proust

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Flavia Trocoli Xavier da Silva

Páginas: 122

Resumo

Esta dissertação apresenta desdobramentos críticos possíveis a partir de uma nova tradução do ensaio “Zum Bilde Prousts”, de Walter Benjamin. Três passagens são decisivas: “À imagem de Proust”, “Num átimo a paisagem se revolve, como o vento” e “Mas entre elas [entre as grandes obras da literatura], essa é uma das que menos cabem nas mãos”. Procuro mostrar como as dobras da tradução vão se abrindo, se delineando, até uma forma final. Menos interessada em capturar os conceitos que orbitam na obra de Benjamin, a dissertação procura abrir leituras a partir dessa tradução, mostrando quais efeitos críticos os textos selecionados de Benjamin ganham a partir dela. Esse gesto tem pelo menos dois lados: por um, certo jogo infantil, que experimenta outras possibilidades da língua; por outro, certa bagunça na recepção de um texto. Nesse tempo dilatado do tradutor, puxar os fios desse ensaio levou a três problemas centrais. Primeiro, como a presença de três figuras femininas, a saber, Albertine Simonet, Asja Lacis e Penélope, impõe pensar a impossibilidade de totalização em Proust e em Benjamin. Segundo, como ler ao nível da enunciação ensina um modo de ler a contrapelo, a ponto de ser possível reler, com Benjamin sob o risco de Proust, duas categorias de certo modo naturalizadas pela tradição ocidental, a saber, o som e o eu. E terceiro, como enfraquecer a noção de apreensibilidade, figurada nas mãos, põe em questão certos modos de unidade, a saber, da perspectiva, do livro e da história.

Palavras-chave: Walter Benjamin, Marcel Proust, Tradução, Teoria literária, Literatura francesa.

Abstract 

This dissertation presents critical developments that are possible from a new translation of the essay “Zum Bilde Prousts”, by Walter Benjamin. Three passages are decisive: “In the image of Proust”, “In a trice the landscape jumps about like the wind” and “But among them [among the great works of literature], this is one does not fit in the hands”. I try to show how the folds of the translation open up, get delineated, until a final form. Less interested in capturing the concepts that orbit Benjamin’s work, the dissertation opens readings from this translation, showing which critical effects the selected texts of Benjamin gain from it. This gesture has at least two sides: for one hand, a childlike game, which experiences other possibilities of the language; on the other hand, a certain mess in the reception of the text. In this extended time of the translator, in pulling the strands of this essay we get to three central problems. First, how the presence of three female figures, namely Albertine Simonet, Asja Lacis and Penelope, lead to the impossibility of totalization in Proust and Benjamin texts. Second, how the reading at the enunciation level teaches a way of reading against the grain, so that it is possible to reread, with Benjamin at the risk of Proust, two categories somehow naturalized by western tradition, namely, the sound and the self. And third, how the weakening of the notion of apprehensibility, figured in the hands, questions certain modes of unity, namely, of the perspective, of the book and of history.

Keywords: Walter Benjamin, Marcel Proust, Translation, Literary theory, French literature.

 

Rafael Apolinário Coutinho

  Título: Parábola do Real e escrita rapsódia: a dramaturgia de Grace Passô

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Beatriz Vieira de Resende

Páginas: 113

Resumo

Esta pesquisa propõe um mergulho na obra da dramaturga mineira Grace Passô, a fim de averiguar as novas configurações dramáticas das quais fala Jean-Pierre Sarrazac (2002), em O futuro do drama. Através de analise comparativa das obras Por Elise (2012), Amores Surdos (2012), Congresso Internacional do Medo (2012) e Marcha para Zenturo (2012) com a tradição dramatúrgica, essa pesquisa busca entender o ressurgimento do interesse editorial com o gênero dramático. Lançamos mão do pensamento de Giorgio Agamben (2007), bem como Jean-Pierre Sarrazac (2002) e Peter Szondi (2001) para a analise, visando contribuir para a reflexão do gênero dramático na enseada dos Estudos Literários.

Palavras-chave: Literatura Contemporânea; Dramaturgia; Grace Passô; Teatro; Literatura Comparada.

 

Rodrigo de Vasconcellos Maciel Guedes Batista

  Título: “Educador malcriado”. Corrupção e distopia na crônica de João Ubaldo Ribeiro

Orientador(a):  Prof. Dr. Luis Alberto Nogueira Alves

Páginas: 113

Resumo

Esta dissertação propõe o estudo da utopia brasileira na visão cética de João Ubaldo Ribeiro. De suas crônicas emerge um país culturalmente colonizado e politicamente corrupto. Esperanças e ilusões são permanentemente obstaculizadas pela sequência de más notícias que abastecem o noticiário jornalístico, projetando a imaginação do cronista para um futuro nada promissor. Deste movimento prospectivo emergem as minudências de um texto pessimista e malcriado. As crônicas analisadas neste estudo foram publicadas originalmente entre os anos de 1999 e 2006, compreendendo a passagem de duas lideranças políticas pela presidência da república: Fernando Henrique Cardoso, seguido por Luis Inácio Lula da Silva.

Palavras-chave: Corrupção. Crônica. Distopia. Ubaldo.

Abstract 

This dissertation proposes the study of the Brazilian utopia in the skeptical view of João Ubaldo Ribeiro. From his chronicles emerges a culturally colonized and politically corrupt country. Hopes and illusions are permanently hampered by the string of bad news that supply the journalistic news, projecting the chronicler’s imagination into an unpromising future. From this prospective movement emerge the minutiae of a pessimistic and uncouth text. The chronicles analyzed in this study were originally published between 1999 and 2006, including the passage of two political leaders by the presidency of the republic: Fernando Henrique Cardoso, followed by Luis Inácio Lula da Silva.

Keywords: Corruption. Chronic. Dystopia. Ubaldo.

 

Tábata da Cruz Silva

  Título: Identidade, território e manipulação: A estrutura da narrativa distópica e suas relações de controle social

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Beatriz Vieira de Resende

Páginas: 107

Resumo

Essa dissertação analisa os fundamentos da estrutura narrativa presente na distopia, enquanto gênero literário. Partindo do cânone, Nós (1924) de Ievguêni Zamiátin, Admirável Mundo Novo (1932) de Aldous Huxley e 1984 (1948) de George Orwell, e o contemporâneo, Submissão (2015) de Michel Houellebecq, tal estudo destina-se a definir as principais características presentes na construção deste gênero. A análise parte da utopia, a idealização presente na narrativa de Thomas More, datada de 1516, e segue para a fundamentação distópica com a narrativa de Zamiátin. A distopia apresenta características peculiares que englobam um regime opressor, um território delimitado e específico e a manipulação do indivíduo dentro de seu meio social. As reflexões aqui propostas pretendem esclarecer como de fato se consolida um regime opressor, sem estar ligado essencialmente a uma linha política, mas sim, atuante enquanto totalitarista. Relações de identidade e as próprias interações sociais são ditadas por esses regimes e constroem uma realidade plausível e inquestionável aos personagens das tramas citadas. Este estudo pretende tratar as características principais desse gênero literário de forma diferenciada, já que desvincula a ideia política da ideia totalitária. Tal distinção é o ponto de partida para a compreensão da Literatura Distópica e de como ocorrem as interferências que modificam o pensamento do indivíduo inserido em determinado meio social.

Palavras-chave: Distopia; Totalitarismo; Território; Manipulação; Identidade.

 

Tayná Sanches Pereira Costa

  Título: “Entre Homero e Haroldo: a intertextualidade e a inventividade do mito de Odisseu e das Sereias”

Orientador(a):  Prof. Dr. Marcelo Diniz Martins

Coorientador(a):  Prof(a). Dr(a). Tatiana Oliveira Ribeiro

Páginas: 192

Resumo

“A presente dissertação busca apresentar nosso estudo comparativo sobre as Sereias em suas representações no período arcaico da Grécia Antiga, bem como nos tempos modernos, a partir de dois poemas analisados: a Odisseia, de Homero, e Finismundo: a última viagem, de Haroldo de Campos. Ao tratar dessas cantoras maviosas, nos deparamos com a mesma audiência tanto no poema homérico como naquele haroldiano – Odisseu, a personagem multifacetada que, por um lado, é o herói polýtropos e, por outro, o homem mundano. Buscamos demonstrar, portanto, as peculiaridades destas personagens nos dois poemas, observando que naquele homérico há maior ênfase na tradição oral; no haroldiano, privilegia-se a intertextualidade literária em que se encontra a morte de Odisseu na literatura ocidental (Dante e Joyce, principalmente). O modelo homérico tanto de Odisseu quanto das Sereias pode ser percebido, inicialmente no poema haroldiano, ao passo que, num segundo momento, Haroldo adapta o herói polýtropos e as cantoras maviosas ao mundo moderno. Se no poema homérico não há um registro do que cantam as Sereias, as modernas já não cantam mais – banalizadas ao som de alarmantes sirenes.”

Palavras-chave: Intertextualidade, mito das Sereias, Odisseu, Homero, Haroldo de Campos.

 

Vanessa Reis da Silva

  Título: “O prazer do homem no silêncio da mulher: uma leitura de A casa das belas adormecidas”

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Flavia Trocoli Xavier da Silva

Coorientador(a):  Prof. Dr. João Marcelo Amaral Reimão Monzani

Páginas: 79

Resumo

A presente dissertação trata de um tema que se pode dizer recorrente na Literatura: o prazer que o silêncio da mulher provoca no homem. Apesar de ser um tema comum a algumas literaturas elencadas neste trabalho, o foco é a obra japonesa de Yasunari Kawabata, intitulada A casa das belas adormecidas (1961), cujo personagem central se relaciona com jovens mulheres silenciosamente adormecidas. Além das relações de gênero influenciadas pelo silêncio feminino, foi pensando como a narrativa é construída em torno desse silêncio, aquilo que é possível narrar e aquilo que o próprio silêncio impossibilita. Erotismo, silêncio e morte norteiam as visitas desse idoso ao prostíbulo das belas adormecidas, que avivam memórias, camuflam a velhice e despertam sentimentos de violência e morte.

Palavras-chave: silêncio; memória; prazer; feminino; erotismo; velhice; morte.

 

Vinícius Santos Loureiro

  Título: O conto e o tableau: aspectos visuais e criação de sentido em Edgar Allan Poe

Orientador(a):  Prof. Dr. Ricardo Pinto de Souza

Páginas: 69

Resumo

Os conceitos modernos sobre o conto começam a tomar forma desde pelo menos os primeiros escritos de Edgar Allan Poe (1809 – 1849). A leitura de suas obras literárias e críticas mostra que o autor já possuía a noção sobre aspectos peculiares ao conto, inclusive explorando a relação específica entre a prosa breve e sua extensão, sendo um dos responsáveis pela conceituação do conto como gênero. Contudo, ao adentrar em sua obra, o leitor percebe em diversos momentos a proliferação de procedimentos descritivos, ocupando conto por meio de imagens e descrições alongadas de personagens ou espaços, o que estaria representando algum esforço contraproducente em relação ao princípio de que o conto é um gênero que opera através de uma lógica de economia, pela qual toda a escrita estaria direcionada para a construção do efeito de sentido, resultando na ideia de que nada sobra no conto. Por outro lado, a recorrência de imagens e símbolos nos contos de Poe, proveniente desse esforço descritivo, antecipa pontos levantados por teóricos do conto moderno no século XX, demonstrando certo nível de funcionalidade nessa técnica. O objetivo da presente dissertação é o de analisar o conto de Edgar Allan Poe pelo viés desse descritivismo, colocando sua própria obra em prosa em perspectiva para melhor ponderarmos como essa descritividade de fato se mostra muito mais como uma solução para os problemas da brevidade do conto do que uma forma de apêndice aos escritos breves.

Palavras-chave: Edgar Allan Poe; conto; visualidade; prosa breve.

 

DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS EM 2017

Total de dissertações defendidas: 12

Aline Fernandes Menezes
Título: Verdade tropical: Tropicália mote contínuo, Brasil moto-contínuo

Orientador(a):  Prof. Dr. Luis Alberto Nogueira Alves

Páginas: 111

Resumo

Esta dissertação discorre sobre o livro Verdade tropical, de Caetano Veloso, publicado em 1997. Trinta anos depois da eclosão do movimento, o cantor vinculava seu gesto ao desejo de contar a “história do tropicalismo”. Ultrapassando as pretensões confessas, o livro também funciona como uma autobiografia do autor e crônica de uma geração. Neste trabalho, discutiremos as peculiaridades formais da obra, cuja prosa híbrida conjuga ensaísmo e narração. Além disso, também traçaremos reflexões sobre as possibilidades de intervenção trazidas pela narrativa autobiográfica e pelo relato de memória, identificando a forma como o tropicalismo e o debate cultural da década de 1960 como um todo foram rememorados por Caetano no final dos anos 1990. Constituirão parte primordial do arcabouço teórico deste trabalho os estudos do crítico Roberto Schwarz sobre tropicalismo e Caetano Veloso, sobretudo seu ensaio “Verdade tropical: um percurso de nosso tempo”, publicado em 2012. Buscando expandir os limites da reflexão, a dissertação, por fim, tentará relacionar a continuidade dos debates sobre a década de 60 – e sobre o tropicalismo – à não resolução de questões que continuam ditando os teimosos destinos do país.

Palavras-chave: Tropicalismo; Caetano Veloso; Verdade tropical; Música popular brasileira; Canção brasileira.

Abstract

This dissertation analyzes the book Verdade tropical, written by Caetano Veloso and published in 1997. Thirty years after the start of the movement, the singer connected his writing to the desire of telling the “history of tropicalism”. Even surpassing said pretensions, the book also functions as the author’s autobiography and the chronicle of a whole generation. We’ll discuss the specific formal traits of Veloso’s work, in which hybrid prose essayism and fiction are combined. Furthermore, we’ll meditate on the intervention possibilities brought by his autobiographical narrative and the story in his memoir, pinpointing the way in which tropicalism and the 60’s cultural debate were remembered and rewritten by him in the late 90’s. The works of the literary critic Roberto Schwarz will be fundamental to the theoretical framework of this study, especially the essay “Verdade tropical: um percurso de nosso tempo”, published in 2012. Searching to expand the boundaries of the reflexion, this dissertation tries to approach the continuity of the debates around the 60’s – and about tropicalism – to the non-resolution of the questions that keep dictating the stubborn destiny of the country.

Keywords: Tropicalism; Caetano Veloso; Verdade tropical; Brazilian popular music; Brazilian song.

 

Allan Luiz Ramos Alves
Título: Valêncio Alêncio Xavier, o Frankenstein de Curitiba: Rastros e Formas da Violência no Brasil

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Danielle dos Santos Corpas

Páginas: 122

Resumo

Por meio de um trabalho predominantemente visual realizado pela justaposição de diferentes linguagens e materiais, Valêncio Xavier (1933-2008), paulistano radicado em Curitiba, criou, à semelhança do doutor Frankenstein — com o experimento de unir partes de corpos distintos para criar um ser híbrido —, novelas e contos altamente peculiares. Embora esse traço tenha despertado curiosidade e provocado estranhamento por conta da experimentação formal ímpar, a obra de Valêncio ainda não conta com uma fortuna crítica que se debruce de fato sobre uma produção tão brilhantemente perturbadora. Reconsiderar ou estabelecer um debate crítico sobre ela significa reconhecer, no exame pormenorizado de cada livro, os modos como a montagem e os recursos plásticos oferecem uma alternativa ao desafio de representar temas de natureza problemática que atravessam a modernidade.Enquanto exercício crítico e ensaístico, esta dissertação expõe e analisa os modos como, na contramão de um discurso autorizado e oficial, composições singulares lidam, na elaboração formal, com matérias difíceis da experiência social, sobretudo a violência — especialmente no Brasil, cuja formação estrutura-se em bases essencialmente violentas. Em um tempo definido pela dispersividade, pelo sensacionalismo, pela fragmentação da experiência e pelo esquecimento seletivo, há certa recorrência no aparecimento de impasses negligenciados e mal resolvidos. Nesse sentido, iluminada por proposições teóricas de textos fundamentais, a leitura cuidadosa dos volumes O Mez da Grippe e outros livros (1998), Minha Mãe Morrendo e o Menino Mentido (2001), Crimes à moda antiga (2004) e Rremembranças da menina de rua morta nua (2006) destaca a importância de não permitir que a obliteração, o anonimato e o apagamento da memória sejam capazes de embotar discussões necessárias sobre a danosa supremacia da brutalidade e do silenciamento. Afinal, nessas narrativas, criatividade e perspicácia contribuem decisivamente para apontar os sintomas da constituição tortuosa de uma sociedade que, com apoio de suporte midiático, banaliza e espetaculariza morte, criminalidade e atos violentos em geral.

Palavras-chave: Valêncio Xavier. Rastros e formas. Violência. Experiência sócio-histórica. Literatura experimental.

Abstract

Through a predominantly visual work carried out by the juxtaposition of different languages and materials, Valêncio Xavier (1933-2008), born in São Paulo and living in Curitiba, created — likewise Dr. Frankenstein (with the experiment of joining parts of distinct bodies to create a hybrid being) — novels and stories that are highly peculiar. Although this trait has aroused curiosity and provoked oddity due to the unique formal experimentation, Valêncio‘s work still does not count on a critical fortune that really deepens on a production so brilliantly disturbing. Reconsidering or critically discussing it means recognizing, in the detailed examination of each book, the ways in which the arrangement of visual resources offer an alternative to the challenge of representing problematic themes that cross modernity. As a critical and essayistic exercise, this thesis exposes and analyzes the ways, against an authoritative and official discourse, singular compositions deal in formal elaboration with difficult subjects of social experience, mostly violence — especially in Brazil, whose formation is rooted essentially in violent grounds. In a time defined by distraction, sensationalism, fragmentation of experience, and selective forgetfulness, there is a certain recurrence in the appearance of neglected and unsolved impasses. In this sense, enlightened by theoretical propositions of fundamental texts, the careful reading of the volumes O Mez da Grippe e outros livros (1998), Minha Mãe Morrendo e o Menino Mentido (2001), Crimes à moda antiga (2004) and Rremembranças da menina de rua morta nua (2006) highlights the importance of not allowing obliteration, anonymity and erasure of memory to blunt necessary discussions about the damaging supremacy of brutality and silencing. After all, in these narratives, creativity and insight contribute decisively to pointing out the symptoms of the devious constitution of a society that, with media support, trivializes and spectacularises death, criminality and violent acts in general.

Keywords: Valêncio Xavier. Traces and forms. Violence. Socio-historical experience. Experimental literature.

 

Débora Silvestre Santos Costa
Título: Duas mulheres insubordináveis: um estudo comparado de Moll Flanders, de Daniel Defoe, e Senhora, de José de Alencar.

Orientador(a):  Prof. Dr. Eduardo de Faria Coutinho

Páginas: 151

Resumo

O presente trabalho é um estudo comparado dos romances Moll Flanders (1722), de Daniel Defoe, e Senhora (1875), de José de Alencar. Tomando como ponto de partida o papel da mulher na sociedade inglesa do século XVIII e na brasileira do século XIX, o objetivo principal é mostrar como, a despeito da posição de subalternidade que a mulher ocupava em suas sociedades, as heroínas desses “romances de formação” são personagens particularmente fortes que controlaram suas próprias vidas e lutaram para conseguir o que queriam, tornando-se senhoras de si mesmas. O foco principal do estudo recai sobre o questionamento de tópicos como a família burguesa, o amor romântico, o individualismo e certa imagem de feminilidade que predominava em suas respectivas épocas. Moll Flanders e Aurélia, as heroínas dos dois romances, puseram constantemente em xeque os valores sociais, políticos, econômicos e éticos de suas sociedades, e consequentemente, tornaram-se admiráveis até os dias de hoje.

Palavras-chave: Feminilidade, Subalterno Feminino, Romantismo, Literatura Inglesa, Literatura Brasileira.

Abstract

The present work is a comparative study of the novels Moll Flanders (1722), by Daniel Defoe, and Senhora (1875), by José de Alencar. Taking as a point of departure the role of women in eighteeth century England and in nineteenth century Brazil, this study’s aim is to show how, in spite of the subaltern position women held in their respective societies, the heroines of these two “formation novels” are particularly strong characters who take control of their own lives and strive to get what they want, thus becoming their own masters. The study focuses on the questioning of the following themes: bourgeois family, romantic love, individualism and a certain image of femininity that prevailed at that time. Moll Flanders and Aurélia, the heroines of each respective novel, put constantly into check the social, political, economic and ethical values of their times, and for this reason they are still admired in the present.

Keywords: Femininity, Subaltern Women, Romanticism, English Literature, Brazilian Literature.

 

Eduardo Oliveira Pereira
Título: As mortes de Josef K.: da tensão entre melancolia e luto

Orientador(a):  Prof(a). Dr(a). Flavia Trocoli Xavier da Silva

Páginas: 111

Resumo

A presente dissertação trata de duas cenas que envolvem um mesmo e outro personagem e, cada uma a seu modo, figuram as mortes de Josef K., porém, cenas contidas em corpus de obras diferentes, a primeira em O processo e a segunda no livro Um médico rural. Tento construir uma relação – que não significa necessariamente uma dialética – entre tais cenas de morte de Josef K., e, nesse sentido, sou levado a pensar no jogo do Fort-Da descrito por Freud, mais precisamente no que diz respeito aos efeitos de leitura que se manifestam entre o fosso da ausência de representação para falar da dor de uma morte sem túmulo e o substituto dessa ausência de representação, substituto da dor dessa morte que não tem medida. Sustento que tais efeitos de leitura atravessam, em tensão permanente, os caminhos da melancolia, marcantes em O processo, e do trabalho de luto, supostamente terminado em Um sonho quando a perda do objeto, do corpo, é nomeada a partir da inscrição do nome de Josef K. na lápide. Um sonho consiste em outra narrativa, outra forma de conjugar essa pura perda sem palavras, essa pura dor que é morrer “como um cão”, e justamente essa leitura a transforma em cena substituta desse impossível de representação. Não se trata, portanto, de uma leitura orgânica na qual uma cena substitui a outra em termos de estrutura, mas sim uma leitura em que uma cena faz corte no que se pretende totalitário e, por consequência, propõe outra aliança, propõe a vigência de outra forma de ler Kafka, forjando-se outra prática de escrita, rasura e palimpsesto, algo da ordem de um contar de novo, de uma reescrita que redimensiona o trauma contido na primeira cena e confirma que esse trauma necessita ser repetido, reencenado para se instalar. Não há cura entre uma cena e outra, não há apagamento do trauma e da dor, mas apenas a constatação de que são formas diferentes de dizer dessa morte, dessa perda.

Palavras-chave: Kafka. Cenas. Reescrita.

Abstract

The present dissertation deals with two scenes involving one and the same character, and each in its own way, include the deaths of Josef K., but scenes contained in a corpus of different works, the first in The Trial and the second in the book A rural doctor. I try to construct a relationship – which does not necessarily mean a dialectic – between such scenes of death by Josef K., and in this sense I am led to think of the Fort-Da game described by Freud, more precisely with regard to the effects of Reading that manifest between the gap of the absence of representation to speak of the pain of a death without a tomb and the substitute of this absence of representation, substitute for the pain of that death that has no measure. I maintain that such reading effects go through, in permanent tension, the ways of melancholy, marked in The Trial, and the work of mourning, supposedly finished in A dream when the loss of the object, of the body, is named from the inscription of the name by Josef K. on the gravestone. A dream consists of another narrative, another way of combining this pure loss without words, this pure pain that is to die “like a dog”, and this reading precisely turns it into a substitute scene of this impossible of representation. It is not, therefore, an organic reading in which one scene replaces the other in terms of structure, but rather a reading in which a scene cuts off what is intended totalitarian and, consequently, proposes another alliance, proposes the validity of another form of reading Kafka, forging another practice of writing, shaving, and palimpsest, something of the order of retelling, of a rewriting that reshapes the trauma contained in the first scene, and confirms that this trauma needs to be repeated, re-enacted to install. There is no cure between one scene and another, there is no erasure of trauma and pain, but only the realization that they are different ways of saying that death, that loss.

Keywords: Kafka. Scenes. Rewriting.

 

Fábio Barbosa da Silva
Título: Pensando as mãos pensas: um estudo sobre a mão na poesia de Carlos Drummond de Andrade.

Orientador(a):  Prof. Dr. João Camillo Barros de Oliveira Penna

Páginas: 133

Resumo

Este trabalho tem como objetivo investigar a persistente referência à mão na obra poética de Carlos Drummond de Andrade, que como levantado por nossa pesquisa ocorre em 68 poemas ao longo de seus dez primeiros livros, escritos entre os anos de 1930 e 1962. A partir desta investigação, veremos como o modo em que o poeta mineiro representa a mão em seus poemas são desdobramentos metonímicos de questões problemáticas em sua obra, como o hermetismo da palavra poética diante das questões sociais, sua relação conturbada com o meio familiar e a inaptidão de seu corpo para o trabalho. Através do contraste entre o modo pelo qual o poeta representa a sua própria mão, sempre de forma negativa, e a de terceiros, de forma positiva, podemos esclarecer um pouco melhor a posição drummondiana diante dos problemas citados. Esperamos com esta dissertação elucidar a potência da imagem da mão, presente em grandes poemas da obra de Carlos Drummond de Andrade, mas pouco explorada em sua vasta fortuna crítica.

Palavras-chave: Carlos Drummond de Andrade – Poesia 1930-62 – Mão – Literatura moderna brasileira

Abstract

The purpose of this work is to investigate the persistent reference to the hand in Carlos Drummond de Andrade’s poetry, which appears in 68 poems included in his first ten books, written between the years of 1930 and 1962, according to our research . In this dissertation we will see that the way in which the poet of Minas Gerais represents the hand in his poems are metonymic unfoldings of problems developped in his work, such as: hermeticism as related to social issues, his troubled relationship with the family environment and the inability of his body to work. Through the contrast between the way in which the poet represents his own hand, always in a negative way, and the hands of others, in a positive way, we can clarify the Drummondian position a little better in the face of the problems mentioned above. We hope with this dissertation to clarify the power of the image of the hand, present in some of Carlos Drummond de Andrade’s major poems, but little explored in his vast bibliography.

Keywords: Carlos Drummond de Andrade – Brazilian modern poetry – Hand

 

Felipe de Medeiros Pacheco
Título: “Mas a alegria permanece”: Míchkin e uma infância

Orientador(a):  Prof. Dr. Ricardo Pinto de Sousa

Páginas: 111

Resumo

Esta pesquisa pretende trabalhar acerca da questão suscitada pelo protagonista do romance de Dostoiévski, O idiota, príncipe Míchkin, que, a todo instante, é chamado de criança e, por isso, subestimado em suas capacidades. A partir do trabalho de diversos filósofos e historiadores, procuramos inseri-lo num ambiente mais propício ao pensamento e entendimento do que é essa criança que todos, inclusive ele próprio, o chamam.

Palavras-chave: Dostoiévski, O idiota.

Abstract

This research intends to work on the question brought about by the protagonist of a Dostoyevsky’s novel, The idiot, prince Myshkin, whom all the time is called a child, and therefore underestimated in his abilities. According to various philosophers’ and historians’ works, we looked after inserting him in an atmosphere more propitious to thought and understanding of what this by everyone, including himself, so-called child is.

Keywords: Dostoyevsky, The idiot

 

Felipe Lima
Título: Goytisolo e os outros: a escrita na guerra e o diálogo com o Islã

Orientador(a):  Prof. Dr. Marco Americo Lucchesi

Páginas: 129

Resumo

A dissertação realiza um trabalho de crítica e análise das crônicas de guerra do escritor espanhol Juan Goytisolo, reunidos sob o título de Paisajes de guerra; tarefa articulada pelo eixo central da alteridade islâmica. Descreve-se a construção de um projeto literário a partir das imagens do árbol literario (paideia), o jardín de la literatura (paideuma) e o pájaro que ensucida su próprio nido (antropotécnica). Perfila-se as relações entre ética e estética com base nos termos medinear e cervantear, cunhados pelo autor. Analisa-se o testemunho das guerras pelo viés da memória/esquecimento e as relações entre a representação do indizível e a criação literária, elaborando uma definição particular do memoricidio e do urbicidio, termos utilizados por Goytisolo. O diálogo com o Islã é traçado a partir dos estudos sobre a alteridade, pelos conceitos de hospitalidade e do rosto, na perspectiva de Martin Buber, Emmanuel Lévinas e Peter Sloterdijk. No ponto de vista inter-religioso e cultural, pensa-se na questão da autobiografia e da escrita com base nos buscadores do diálogo, conforme elabora Faustino Teixeira, traçando um posicionamento limiar entre política e arte.

Palavras-chave: Juan Goytisolo; Crônica de guerra; Literatura espanhola contemporânea; Testemunho literário; Diálogo e alteridade.

Abstract

The dissertation carries out a work of critique and analysis of the chronicles of war of the Spanish writer Juan Goytisolo, reunited by the title of Paisajes de guerra; the task is articulated by the central axis of Islamic alterity. It’s described the construction of a literary project based on the images of the jardín de la literatura (paideia), the árbol literario (paideuma) and the pájaro que ensucia su proprio nido (antropotechnics). The relationships between ethics and aesthetics are based on the terms medinear and cervantear, coined by the author. The testimony of wars is analyzed by the bias of memory/oblivion and the relations between the representation of the unspeakable and the literary creation, elaborating a particular definition of memoricidio and urbicidio, terms used by Goytisolo. Dialogue with Islam is drawn from the studies of alterity, and the concepts of hospitality and the face, from the perspective of Martin Buber, Emmanuel Lévinas and Peter Sloterdijk. From an interreligious and cultural point of view, one thinks of the question of autobiography and writing based on the seekers of dialogue, as elaborated by Faustino Teixeira, drawing a threshold between politics and art.

Keywords: Juan Goytisolo; Chronicle of war; Contemporary Spanish literature; Literary testimony; Dialogue and alterity.

 

Giselle Rodrigues da Silva Monteiro
Título: O Pai Goriot e Madame Bovary: duas perspectivas da enunciação

Orientador(a):  Prof. Dr. Eduardo de Faria Coutinho

Páginas: 109

Resumo

Este trabalho tem como objetivo investigar a persistente referência à mão na obra poética de Carlos Drummond de Andrade, que como levantado por nossa pesquisa ocorre em 68 poemas ao longo de seus dez primeiros livros, escritos entre os anos de 1930 e 1962. A partir desta investigação, veremos como o modo em que o poeta mineiro representa a mão em seus poemas são desdobramentos metonímicos de questões problemáticas em sua obra, como o hermetismo da palavra poética diante das questões sociais, sua relação conturbada com o meio familiar e a inaptidão de seu corpo para o trabalho. Através do contraste entre o modo pelo qual o poeta representa a sua própria mão, sempre de forma negativa, e a de terceiros, de forma positiva, podemos esclarecer um pouco melhor a posição drummondiana diante dos problemas citados. Esperamos com esta dissertação elucidar a potência da imagem da mão, presente em grandes poemas da obra de Carlos Drummond de Andrade, mas pouco explorada em sua vasta fortuna crítica.

Palavras-chave: Carlos Drummond de Andrade – Poesia 1930-62 – Mão – Literatura moderna brasileira

Abstract

The purpose of this work is to investigate the persistent reference to the hand in Carlos Drummond de Andrade’s poetry, which appears in 68 poems included in his first ten books, written between the years of 1930 and 1962, according to our research . In this dissertation we will see that the way in which the poet of Minas Gerais represents the hand in his poems are metonymic unfoldings of problems developped in his work, such as: hermeticism as related to social issues, his troubled relationship with the family environment and the inability of his body to work. Through the contrast between the way in which the poet represents his own hand, always in a negative way, and the hands of others, in a positive way, we can clarify the Drummondian position a little better in the face of the problems mentioned above. We hope with this dissertation to clarify the power of the image of the hand, present in some of Carlos Drummond de Andrade’s major poems, but little explored in his vast bibliography.

Keywords: Carlos Drummond de Andrade – Brazilian modern poetry – Hand

 

Guilherme Belcastro de Almeida

Título: Murmúrios entre fantasmas: o que pode restar de Pedro Páramo

Orientador(a):  Prof(a). Dr.(a) Flavia Trocoli Xavier da Silva

Páginas: 102

Resumo

Esse trabalho procura buscar os restos de Pedro Páramo, de Juan Rulfo, a partir de uma leitura cerrada que se desenvolve da obra. Parte-se de uma análise da morte, do luto e da ruína, três elementos fundamentais na construção da narrativa. Em seguida, a discussão passa pelo problema do lugar que assume a história no romance, para por fim trazer ao centro da análise as cenas de loucura e parricídio, associadas a um método da escrita rulfiana de corte, que gera
um exército de ruínas e restos. A análise de outras obras literárias que colaboram com a discussão passa pela literatura contemporânea a Rulfo e à escrita desse trabalho. Também são de grande importância as leituras da obra fotográfica de Juan Rulfo.
Palavras-chave: Juan Rulfo; literatura hispano-americana; literatura e psicanálise.
Abstract
This work intends to search for the rests of Juan Rulfo’s Pedro Páramo by adopting a close reading of the novel. An analysis of death, mourning and ruins – three of the fundamental elements on the construction of the narrative – composes the first part. Following, the problem of the place occupied by history in the novel becomes the central discussion. Finally, the scenes of madness and parricide are brought to light, linked to Rulfo’s writing method of cutting off anything from essay parts to characters, which generates an army of ruins and remains. The analysis of other literary works such as novels contemporary to Rulfo and ourselves corroborate to the discussions lead here. It is also of great importance the readings of Rulfo’s photographs.
Keywords: Juan Rulfo; latin american literature; literature and psycoanalysis.

 

Gustavo Deister Dias Barbosa
Título: O devir de Pessoa em torno da sensação: da gênese heteronímica como problematização da metafísica

Orientador(a):  Prof. Dr. Ricardo Pinto de Souza

Páginas: 104

Resumo

Fernando Pessoa é um metafísico. Afirmamos isso não para sugerir uma imagem homogênea de sua poética, mas para, a partir desse nódulo central, compreender como cada um dos principais heterônimos apreende e problematiza a metafísica de maneira diferente. Com uma incrível riqueza teórica, Pessoa, em seus aforismos, fragmentos e ensaios, irá propor uma estética baseada inteiramente nas sensações, na conversão de umas em outras. As sensações são produzidas, segundo ele, através de um processo de abstração, que se inicia com os sentidos e as percepções afetivas, alcançando posteriormente uma sensação abstrata. Ora, esse procedimento é, como veremos, uma formulação metafísica das sensações. Não obstante, seria insuficiente sua teoria estética para afirmarmos a metafísica como problema central de sua obra. Sua poética, contudo, parece também girar em torno das sensações e do problema metafísico que as rodeia. O Ortônimo poeta, mais próximo do Pessoa que escreveu os ensaios, em diversos poemas sobre os quais nos debruçaremos, se utiliza do mesmo procedimento de abstração, mas com um ritmo e uma força própria dos versos. O mesmo não poderíamos dizer dos heterônimos. Cada um dos maiores, isto é, Campos, Reis e Caeiro, incluindo o semi-heterônimo Bernardo Soares, parece enxergar a metafísica de forma distinta. Esta dissertação pretende, portanto, pensar a relação entre a constituição metafísica das sensações e seus problemas emergentes na heteronímia de Fernando Pessoa.

Palavras-chave: devir; heteronímia; metafísica; Pessoa; sensação.

Abstract

Fernando Pessoa is a metaphysician. We affirm this not to suggest a homogeneous image of his poetics, but to, from this central node, understand how each one of the major heteronyms seizes and problematizes metaphysics differently. With an incredible theoretical wealth, Pessoa, in his aphorisms, fragments and essays, will propose an aesthetic based entirely on the sensations, on the conversion of one to another. The sensations are produced, according to him, through a process of abstraction, which begins with the senses and the affective perceptions, reaching later an abstract sensation. Now, this procedure is, as we shall see, a metaphysical formulation of sensations. Nevertheless, his aesthetic theory would be insufficient to affirm metaphysics as the central problem of his work. Their poetics, however, also seem to revolve around the sensations and the metaphysical problem that surrounds them. The Orthonym poet, closest to the Pessoa who wrote the essays, in several poems on which we’ll deal, uses the same procedure of abstraction, but with a rhythm and a force own of the verses. The same could not be said of heteronyms. Each of the larger ones, that is, Campos, Reis, and Caeiro, including the semi-heteronymous Bernardo Soares, seems to see metaphysics differently. This dissertation aims, therefore, to think the relation between the metaphysical constitution of the sensations and its emergent problems in the heteronymy of Fernando Pessoa.

Keywords: becoming; heteronymy; metaphysics; Pessoa; sensation.

 

Marlon Augusto Barbosa
Título: A espessura das sombras: uma leitura de Se um viajante numa noite de inverno, de Italo Calvino.

Orientador(a):  Prof. Dr. Marcelo Diniz Martins

Páginas: 126

Resumo

Italo Calvino (1923 – 1985) esteve durante toda a sua vida engajado política e teoricamente com a literatura. Sua obra crítica e literária articula questões que podem ser consideradas clássicas para a Teoria Literária, como por exemplo, as instâncias do leitor, do autor e da leitura. O objetivo dessa dissertação de mestrado é entender como, a partir de uma desarticulação do romance, de um hibridismo de gêneros e de discursos, de que modo, através de que estratégias de composição o livro de Calvino – Se um viajante numa noite de inverno (1979) – dialoga com a Teoria Literária e a Crítica Literária e faz de seu discurso literário território de impasse e de práticas de escrita.

Palavras-chave: Italo Calvino 1. Viajante 2. Leitor 3. Autor 4. Leitura 5.

Abstract

Italo Calvino (1923 – 1985) was throughout his life politically and theoretically engaged with literature. His critical and literary work articulates questions that can be considered classic for Literary Theory, such as the instances of the reader, the author and the reading. The objective of this master’s thesis is to understand how, from a disarticulation of the novel, a hybridism of genres and discourses, in what way, through which strategies of composition the book of Calvin – Se um viajante numa noite de inverno (1979) – dialogues with Literary Theory and Literary Criticism and makes his literary discourse a territory of impasse and writing practices.

Keywords: Italo Calvino 1. Traveler 2. Reader 3. Author 4. Reading 5.

 

Rafael Alverne Freitas de Albuquerque

Título: Tempo e esperança em Agostinho de Hipona e Ernst Bloch

Orientador(a):  Prof. Dr. Marco Americo Lucchesi

Páginas: 145

Resumo

Este trabalho compara os conceitos de tempo e esperança no “Livro XI” das Confissões, de Agostinho de Hipona, e na fundamentação teórica d’O princípio esperança, de Ernst Bloch, buscando compreender o papel da tradição do bispo ao filósofo alemão, bem como a interrelação entre os conceitos centrais de um ponto de vista estruturante. Segue-se, portanto, a hipótese de que o tempo calca um estar no mundo propositivo para um modo de agir e para um fundo afetivo, que pode se constituir como esperança de acordo com as condições de positivação do futuro e de afirmação da vontade. A investigação, entretanto, não se resume ao seu recorte central e procura estabelecer a temporalidade geral em que se inserem os pensadores, bem como os elementos de dissenso entre eles.

Palavras-chave:tempo, esperança, Agostinho de Hipona, Ernst Bloch, tradição

Abstract

This dissertation compares the concepts of time and hope in “Book XI” of Augustine of Hippo’s Confessions, and in the theoretical grounds of The Principle of Hope by Ernst Bloch, aiming at a better understanding of the role of tradition between the Bishop and the German philosopher. We also try to find a connection between these central concepts from a sole structuring point of view. We work under the hypothesis that time produces a being in the world that proposes a way of acting and an affectional foundation, which might be constituted as hope. The resulting concept of hope could be, then, linked to the conditions of effectiveness of the future and affirmation of the will. The research, however, does not only cover its main concern, and tries to establish the general temporality, as well as the disaccording elements, in which the thinkers are integrated.

Keywords: time; hope; Augustine of Hippo; Ernst Bloch; tradition.